Área Restrita:

Ernesto Gelbcke e a trajetória de um profissional completo

 

Os integrantes da Academia Paulista de Contabilidade – APC são profissionais renomados e com grandes histórias de vida, que servem de exemplo para as novas gerações. Este é o caso de Ernesto Rubens Gelbcke, que construiu sua carreira dentro da auditoria, mas possui múltiplos talentos, que hoje são utilizados no atendimento aos clientes da sua empresa de consultoria

 

Academia

 

Dificilmente um profissional consegue alçar grandes voos sem se capacitar. E isso inclui tanto conhecimentos práticos quanto teóricos.

 

Tanto que Gelbcke, que ocupa a Cadeira de nº 25, que tem como Patrono Aúthos Pagano,  é co-autor do “Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações e Manual de Contabilidade Societária”, que, durante anos, foi a única publicação do gênero no Brasil.

 

Em 1977, logo depois da edição da Lei Nº 6.404/76 – a chamada Lei das S.A. –, a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras - Fipecafi foi procurada pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM para editar o “Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações”.

 

Assim surgiu a obra hoje conhecida como “A Bíblia do Contador”. Como novas normas contábeis foram sendo criadas, novas edições do livro surgiram, estando atualmente na terceira versão.

 

História com a Contabilidade

 

Seu interesse pela área contábil está diretamente ligado à auditoria, ao conhecer um dos principais sócios da Arthur Andersen, empresa de auditoria grande e influente.

 

A impressão deixada pelo profissional o motivou a ingressar na Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis da Universidade de São Paulo – FEA USP. Isso e o fato de, na época, não ter condições financeiras para arcar com um curso em faculdade privada.

 

Pouco tempo após o seu ingresso na universidade, o então estudante conseguiu ingressar na própria Arthur Andersen em seu programa de trainee, marcando o início de uma relação profissional que duraria 11 anos.

 

A decisão de sair da empresa surgiu com o sonho de abrir seu próprio negócio: uma empresa de auditoria focada no Nordeste, mas que conseguiu se expandir a outras regiões do país.

 

Após quase 40 anos, o profissional decidiu ir em busca de novos objetivos: fornecer consultoria para empresas nas áreas de tributos e auditoria.

 

Entidades contábeis

 

Aos 75 anos, a história de Ernesto Gelbcke também faz parte da história das Entidades da Classe  Contábi diretamente ligadas à sua atuação.

 

O auditor foi membro do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil - Ibracon, do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC, da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade - Anefac, do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC e do Instituto dos Auditores Internos do Brasil – IIA, além da APC.

 

Gelbcke também integra os Conselhos de Administração e Fiscal e/ou dos Comitês de Auditoria de diversas entidades e companhias brasileiras, tais como: Ação Comunitária, Banco do Brasil Americel, Telet, Arcelor, Copel, NEC do Brasil, Ripasa Papel e Celulose, Ambev e Itaú Unibanco Holding, dentre outros.

 

Isso demonstra a complexidade e completude da trajetória de Gelbcke, que passeia pela prática profissional, pela academia e pela atuação em entidades tão relevantes para o desenvolvimento desta profissão, pela qual tem tanto apreço.