Área Restrita:

Professores da Fecap e USP explicam o Relato Integrado no Encontro com Acadêmicos

 

A Academia Paulista de Contabilidade - APC em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo-CRCSP realizaram  nesta terça feira (21/08), mais uma edição do projeto Encontro com Acadêmicos, trazendo, desta vez, para uma seleta plateia um tema inovador “Relato Integrado”, de grande importância para as empresas, em especial aquelas que operam em Bolsa de Valores.

 

O Domingos Orestes Chiomento, presidente da APC, estava presente, mas delegou à Acadêmica Angela Zechinelli Alonso  fazer a abertura dos trabalhos. Ocasião em que ela falou sobre as atividades da Academia e  apresentou os professores palestrantes:  Alexandre Sanches de Garcia, Acadêmico e Pró-Reitor da Fecap; e Eduardo Flores, docente  da Universidade de São Paulo – USP, ambos estudiosos do tema.

 

“A Contabilidade é a linguagem das finanças”, com essa afirmação  o Acadêmico Alexandre Garcia, ocupante da Cadeira nº27 da APC, cujo Patrono é Acácio Paula Leite Sampaio, explicou a importância do Sistema Blockhain,  bem como discorreu sobre o conceito de Relato Integrado, seu processo histórico, e a importância dos profissionais da Contabilidade se aterem a este assunto.

 

Segundo o experiente professor, o Relato Integrado, teve seu início em 2011 no Reino Unido,  com o objetivo de estruturar e padronizar as informações não financeiras que causam impactos nos balanços e relatórios empresariais. “A utilização desse mecanismo nos dias atuais tornou-se tão importante que ganhou uma cláusula no Relatório dos Indicadores para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, no qual consta a exigência das empresas publiquem relatórios de sustentabilidade que contemplam as seguintes áreas das empresas: Capital Financeiro, Capital Manufaturado, Capital Humano, Capital Intelectual, Capital Natural e Capital Social.”

 

“ Apesar de desde o ano de 2009, a prática ser obrigatória na África do Sul, principalmente em Joanesburgo,  alguns países ainda estão se adaptando às novas normas, sendo que o Brasil é o segundo país a possuir o maior número de empresas utilizando o Relato Integrado. Talvez como consequência da realização da Conferência do Clima, em 2012, no Rio de Janeiro, a Rio+20,” comentou o professor Alexandre Garcia.

 

Em 2016, a Comissão de Valores Mobiliários – CVM, adotou o Formulário de Referência, sobre ações de sustentabilidade das empresas, sendo que hoje, 33 grandes empresas brasileiras fazem o Relato Integrado.

 

Por sua vez, o professor da USP, Eduardo Flores destacou a importância do Relato Integrado como uma ferramenta para tomar decisões e como as ausências de divulgação informacional alteram a percepção externa das empresas e impactam em seus  relacionamentos com o mercado. “ Atualmente mais de 2000 empresas em todo o mundo prestam suas informações com o Relato Integrado, sendo que em Joanesburgo, são mais de 400 empresas.

 

“A Contabilidade sempre enfrentou desafios e  buscou métodos de se adaptar às novidades. E no caso do Relatório Integrado será preciso  que os profissionais da Contabilidade se mantenham informados para entender e aplicar o sistema nas empresas que assessoram” enfatizou o palestrante.

 

No final da apresentação ambos os professores se dispuseram a interagir com a plateia para sanar dúvidas e dar maiores explicações sobre o tema.

 

Também prestigiaram o Evento, os  Acadêmicos: Claudio Avelino Mac-Knight Filippi, Joaquim Carlos Monteiro de Carvalho, e Irineu De Mula.